domingo, 16 de outubro de 2011

Horas, dias e meses de caos...um monstro sorrateiro

culpa
Hoje depois de muito ler o e reler os posts antigos do Blog do Alexandre - TDAH -reconstruindo a vida, eu reparei em um pequeno detalhe, mais uma vez eu abandonei algo no meio do caminho, meu blog, minha suposta válvula de escape...ah como eu sou previsível.

Acreditem ou não eu já duvidava da minha capacidade de continuar a escrever por muito tempo, de alguma forma eu me perdi no meio de um mar de confusão e voltei ao meu velho padrão de esquecimento e irresponsabilidade, o que inclui ser irresponsável com tudo, trabalho, mestrado, tratamento, saúde e com os meus amigos e família.

Entre uma notícia familiar complicada, a pressão que eu me coloco e a que recebo para reagir de acordo com meu papel de filha mais velha, pessoa racional e responsável e a vontade de fugir de tudo que me certa, de voltar o tempo, de ser livre e sentir vontade de viver como antes, sair dessa vida rotineira e policiada. Nossa adentrei uma realidade paralela que apenas agora consigo enxergar o tamanho de seu estrago em minha vida.

Minha Yoda (paciente e incrível psicóloga) entrou de licença a maternidade, eu numa onda de auto-confiante, resolvi esperar que ela voltasse para continuarmos com o tratamento comportamental, pois me achei capaz de lidar com alguns meses de organização e disciplina. AH! Mas essas duas palavras são verdadeiros monstros para mim.

Hoje nos posts do Alexandre que inconscientemente vinha evitando ler, me dizendo que estava sem tempo, quando na realidade tenho excesso de tempo, não ando fazendo nada realmente produtivo, eu engatei o automático e esqueci quem eu sou, esqueci todos os progressos, todos os dados, as leituras, esqueci tudo e voltei a estaca zero...tive mais uma recaída, creio  que não será  a última, isso só serve para me lembrar o quanto essa vida de “em recuperação” não dá muito espaço...uma pequena falha, um floco de neve é o começo de uma catástrofe...

De certa forma estou voltando a postar, pois quando o faço sinto-me mais conectada com minha terapia e meu tratamento, incrível esse sentimento de culpa que me tomou e me tirou o sono. Que me fez ler compulsivamente tudo sobre TDAH, pela enésima vez. É como se eu quisesse me falar...”tá vendo como você sempre faz isso?”.

Admito que por muitas vezes esqueci meu tratamento, dormir quando devia estar estudando, escrevendo minha dissertação de mestrado, meus pais, meus amigos, esqueci quem sou, quem me tornei...esqueci de viver...fingi tão bem que me enganei por meses, percebendo apenas hoje o quanto ando em falta comigo...o que fiz comigo???

Cá estou as quatro e vinte da madruga(uma hora a mais pra algumas regiões), percebendo agora, depois de meses que eu praticamente os passei dormindo, não me lembro de nada significativamente produtivo que tenha feito, lembro apenas de um comportamento hedonista e irresponsável, imaturo e inapropriado para esse momento.

Eu fugi. E esqueci de me avisar. Fiz um check out da minha vida e sem perceber destruí tudo que havia feito...agora é recolher o cacos e refazer-se...i guess. Sinto falta de quem cheguei a ser, sinto falta do meu progresso, da minha produtividade, sei que isso é parte da recaída, mas sinto-me um lixo por ter deixado chegar a este ponto. Como fui capaz de tamanha atrocidade e pior eu sou a única culpada.

As vezes por um segundo eu queria ser uma pessoa  “normal”, que das duas uma, ou vive sobriamente uma vida organizada ou chuta o balde e não tá nem vendo. Esse limbo é que me cansa, essa coisa de errar e ter mais consciência do que tudo de que EU sou a causa do meu sofrimento...

Ae vem a vontade de fugir  e esquecer de tudo novamente, mas agora eu consigo ver, voltei a enxergar eu diria que eu tenho que fazer algo, eu tenho que retomar o caminho que estava percorrendo, amanha voltar a organizar meu tratamento, voltar a me obrigar a estudar e escrever minha dissertação...ser o que espero ser...

Ah, o complicado agora é perseguir o objetivo novamente...voltar a vida que gostei de saborear...

Essa musica da Adele expressa tão bem minha dúvida de seguir...eu sei que devemos sempre seguir em frente...mas as vezes eu queria saber o porque disso tudo....

 CHASING PAVEMENTS - ADELE

I've made up my mind, don't need to think it over
If I'm wrong I am right, don't need to look no further
This ain't lust, I know this is love

But if I tell the world, I'll never say enough
'Cause it was not said to you
And that's exactly what I need to do if I'd end up with you

Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?
Or would it be a waste even if I knew my place
Should I leave it there?
Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?

I build myself up and fly around in circles
Wait then as my heart drops and my back begins to tingle
Finally could this be it?

Should I give up or should I just keep chasing pavements
(From: http://www.elyrics.net/read/a/adele-lyrics/chasing-pavements-lyrics.html)
Even if it leads nowhere?
Or would it be a waste even if I knew my place
Should I leave it there?
Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?

Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?
Or would it be a waste even if I knew my place
Should I leave it there?
Should I give up or should I just keep on chasing pavements
Should I just keep on chasing pavements?

Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?
Or would it be a waste even if I knew my place
Should I leave it there?
Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?
Ocorreu um erro neste gadget