domingo, 16 de outubro de 2011

Horas, dias e meses de caos...um monstro sorrateiro

culpa
Hoje depois de muito ler o e reler os posts antigos do Blog do Alexandre - TDAH -reconstruindo a vida, eu reparei em um pequeno detalhe, mais uma vez eu abandonei algo no meio do caminho, meu blog, minha suposta válvula de escape...ah como eu sou previsível.

Acreditem ou não eu já duvidava da minha capacidade de continuar a escrever por muito tempo, de alguma forma eu me perdi no meio de um mar de confusão e voltei ao meu velho padrão de esquecimento e irresponsabilidade, o que inclui ser irresponsável com tudo, trabalho, mestrado, tratamento, saúde e com os meus amigos e família.

Entre uma notícia familiar complicada, a pressão que eu me coloco e a que recebo para reagir de acordo com meu papel de filha mais velha, pessoa racional e responsável e a vontade de fugir de tudo que me certa, de voltar o tempo, de ser livre e sentir vontade de viver como antes, sair dessa vida rotineira e policiada. Nossa adentrei uma realidade paralela que apenas agora consigo enxergar o tamanho de seu estrago em minha vida.

Minha Yoda (paciente e incrível psicóloga) entrou de licença a maternidade, eu numa onda de auto-confiante, resolvi esperar que ela voltasse para continuarmos com o tratamento comportamental, pois me achei capaz de lidar com alguns meses de organização e disciplina. AH! Mas essas duas palavras são verdadeiros monstros para mim.

Hoje nos posts do Alexandre que inconscientemente vinha evitando ler, me dizendo que estava sem tempo, quando na realidade tenho excesso de tempo, não ando fazendo nada realmente produtivo, eu engatei o automático e esqueci quem eu sou, esqueci todos os progressos, todos os dados, as leituras, esqueci tudo e voltei a estaca zero...tive mais uma recaída, creio  que não será  a última, isso só serve para me lembrar o quanto essa vida de “em recuperação” não dá muito espaço...uma pequena falha, um floco de neve é o começo de uma catástrofe...

De certa forma estou voltando a postar, pois quando o faço sinto-me mais conectada com minha terapia e meu tratamento, incrível esse sentimento de culpa que me tomou e me tirou o sono. Que me fez ler compulsivamente tudo sobre TDAH, pela enésima vez. É como se eu quisesse me falar...”tá vendo como você sempre faz isso?”.

Admito que por muitas vezes esqueci meu tratamento, dormir quando devia estar estudando, escrevendo minha dissertação de mestrado, meus pais, meus amigos, esqueci quem sou, quem me tornei...esqueci de viver...fingi tão bem que me enganei por meses, percebendo apenas hoje o quanto ando em falta comigo...o que fiz comigo???

Cá estou as quatro e vinte da madruga(uma hora a mais pra algumas regiões), percebendo agora, depois de meses que eu praticamente os passei dormindo, não me lembro de nada significativamente produtivo que tenha feito, lembro apenas de um comportamento hedonista e irresponsável, imaturo e inapropriado para esse momento.

Eu fugi. E esqueci de me avisar. Fiz um check out da minha vida e sem perceber destruí tudo que havia feito...agora é recolher o cacos e refazer-se...i guess. Sinto falta de quem cheguei a ser, sinto falta do meu progresso, da minha produtividade, sei que isso é parte da recaída, mas sinto-me um lixo por ter deixado chegar a este ponto. Como fui capaz de tamanha atrocidade e pior eu sou a única culpada.

As vezes por um segundo eu queria ser uma pessoa  “normal”, que das duas uma, ou vive sobriamente uma vida organizada ou chuta o balde e não tá nem vendo. Esse limbo é que me cansa, essa coisa de errar e ter mais consciência do que tudo de que EU sou a causa do meu sofrimento...

Ae vem a vontade de fugir  e esquecer de tudo novamente, mas agora eu consigo ver, voltei a enxergar eu diria que eu tenho que fazer algo, eu tenho que retomar o caminho que estava percorrendo, amanha voltar a organizar meu tratamento, voltar a me obrigar a estudar e escrever minha dissertação...ser o que espero ser...

Ah, o complicado agora é perseguir o objetivo novamente...voltar a vida que gostei de saborear...

Essa musica da Adele expressa tão bem minha dúvida de seguir...eu sei que devemos sempre seguir em frente...mas as vezes eu queria saber o porque disso tudo....

 CHASING PAVEMENTS - ADELE

I've made up my mind, don't need to think it over
If I'm wrong I am right, don't need to look no further
This ain't lust, I know this is love

But if I tell the world, I'll never say enough
'Cause it was not said to you
And that's exactly what I need to do if I'd end up with you

Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?
Or would it be a waste even if I knew my place
Should I leave it there?
Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?

I build myself up and fly around in circles
Wait then as my heart drops and my back begins to tingle
Finally could this be it?

Should I give up or should I just keep chasing pavements
(From: http://www.elyrics.net/read/a/adele-lyrics/chasing-pavements-lyrics.html)
Even if it leads nowhere?
Or would it be a waste even if I knew my place
Should I leave it there?
Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?

Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?
Or would it be a waste even if I knew my place
Should I leave it there?
Should I give up or should I just keep on chasing pavements
Should I just keep on chasing pavements?

Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?
Or would it be a waste even if I knew my place
Should I leave it there?
Should I give up or should I just keep chasing pavements
Even if it leads nowhere?

15 comentários:

  1. Oi Laís.
    Que dor, minha amiga. Mas, parabéns por enxergar e reerguer-se.
    Apesar de toda a dor de seu post e de sua vida, o seu texto é muito bonito.
    Erga-se, você merece!
    Não se culpe, o monstro é sorrateiro e habita nossas mentes com uma aparência inofensiva.
    Se eu puder ajudá-la de alguma forma, conte comigo.
    Não desanime, Laís.
    Um abraço
    Alexandre

    ResponderExcluir
  2. é inacreditavel,isso é verdadeiro,sempre me achava no minimo estranha,porem hoje,as coisas fazem sentido,mas e o que eu faço,estou sempre tendo minhas recaidas também,e isso é muito intenso,sofremos com isso,e parece não termos mais forças...

    ResponderExcluir
  3. Anonima... faça o que podemos fazer.. levantar-se, como disse meu amigo alexandre reequer-se....tudo isso faz parte de quem somos e do processo que temos que passar ao longo de nossas vidas. Para mim é sempre bom saber que não sou a única, a ET, que sou apenas alguém que como outras pessoas tem dificuldades e erra.. mas com erros se aprende...apesar de não parecer, pois temos essa vida meio de viciado, cheia de recaídas, cada queda deixa uma cicatriz que deixa uma lição! acredite...sem perceber melhoramos a cada dia...mesmo com nossos erros.

    ResponderExcluir
  4. OLA, Eu estou tentando montar uma maior união entre os Blogueiros do tema "DDA/TDAH"

    BASTARIA CADA BLOQUEIRO FAZER UM POST COM A LISTA DE BLOGS PARA VISITAR E APRENDER MAIS...

    PODERIA PARTICIPAR? (SE QUISER PODE ACRESCENTAR MAIS BLOGS AINDA)

    http://UniversoDDA.blogspot.com

    http://vidaaposdda.blogspot.com

    http://diariodeumdda.wordpress.com

    http://alicetdah.blogspot.com

    http://umamentetdah.blogspot.com

    http://www.desligadohiperativo.blogspot.com

    http://discutindotdah.blogspot.com

    http://estapensandoemque.blogspot.com

    http://diariodeumaavoada.blogspot.com

    http://tdahrecife.blogspot.com

    http://maedda.blogspot.com

    http://www.tdah-reconstruindoavida.com.br

    http://ritalinacombobagem.blogspot.com

    http://meuhipocampo.blogspot.com

    http://criancahiperativa.blogspot.com

    http://www.mundotdah.com.br

    http://amandodda.blogspot.com

    http://mentetdah.blogspot.com

    http://tdah-dourados.blogspot.com/

    http://umamentetdah.blogspot.com

    http://marcusdeminco.blogspot.com/

    http://eutenhotdaheagora.blogspot.com

    http://criancasfelizesdemais.blogspot.com/

    poesiatdah.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vou add o meu tb ok
      http://tdhaequalizandoospensamentos.blogspot.com.br

      Excluir
  5. Me sinto assim como você, Lais! Desperdiçando meu potencial em devaneios. Mas espero que você tenha encontrado a disciplina necessária pra atingir seus objetivos!
    Eu criei meu blog exatamente pra ter uma noção de rotina, de foco. Mas acho que até isso está me atraspalhando, porque estou curtindo tanto escrever lá que acho que passo tempo demais lendo e escrevendo sobre TDAH quando devia estudar outras coisas! =P
    Ainda assim, acho que me impor essa disciplina me dá um certo alívio, a sensação de que existe algo pelo menos que me satisfaz e que eu faço certo.
    Quando recebo um comentário de alguém que se identifica ou encontra conforto nos posts, ou se diverte com eles, é uma pequena alegria.
    Espero que meu comentário possa ser uma alegria e estímulo pra você!
    Beijos,

    A.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi amiga avoada tb tenho thda tb criei um blog, tenho inumeras ideias e gostaria de conversar com vc me add vanessalacau2011@hotmail.com

      Excluir
  6. oi amiga tb tenho thda tb criei um blog, tenho inumeras ideias e gostaria de conversar com vc me add vanessalacau2011@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Laís!
    Tá sumida, tenho sentido falta de seus textos.
    Tá tudo bem com você?
    Dê notícias...
    Um abraço
    Alexandre

    ResponderExcluir
  8. Gostaríamos de convidá-lo (a) para o primeiro Ciclo de Palestras que será dirigido pela médica psiquiatra e escritora Dra Ana Beatriz Barbosa Silva e vai discutir temas atuais sobre o comportamento humano, entre eles o tdah, hiperatividade, desatenção e ansiedade.
    Mais informações: (11) 3791-9599 de segunda a sexta das 09:30 as 12: 30 e das 13:30 as 18:30 ou www.cpalestras.com.br

    ResponderExcluir
  9. "complicado agora é perseguir o objetivo novamente...voltar a vida que gostei de saborear..." Compartilho completamente. Tao dificil, depois de experimentar alívio, voltar a sentir essa maldita dor.

    ResponderExcluir
  10. o shit..
    me reconheci 10000000% em cada linha que voce escreveu.. os magicos minutos de identificação foram acordados com o mizero segundo de um terrivel balde de agua fria .. ultimamente tenho feito muito isso.. pois como falou : colocamos a vida no automatico, e acaba passando o tempo sem voce notar nada construtivo/positivo.
    Para mim, sempre foi dificil essa vida errante.. mas é tão mais comodo ficar aqui com os meus problemas, é tão arduo, tão dolorido..mas eu sei .. que mesmo longe.. um dia vou conseguir (Y)
    Att, Jhenifer

    ResponderExcluir
  11. Laís, se você tem pontos de apoio (família, amigos, ou alguma reserva financeira, um lugar para morar, qualquer UMA destas coisas), você já tem alguma coisa com a qual eu sonho ter, para poder me reerguer. Recomece, sempre e mais uma vez. Não pense no que perdeu, anime-se com as possibilidades de ser feliz, ou ter mais paz consigo mesma. Anime-se.

    Não deixe acontecer a você, o que eu deixei acontecer comigo.

    Segue o comentário que eu acabei de postar no blog do Alexandre:
    "Por razões óbvias, não li o post inteiro. Acho que se uma pessoa sofreu muitas derrotas e humilhações, pode chegar ao ponto de negação absoluta e fuga, sim. Acho que isso não é falta de caráter, mas evitar o reavivamento de uma dor muito, muito, muito grande. Desespero.
    Eu estou a beira do desespero, ou já nele, nem sei mais. Fui obrigado a interromper meu tratamento. Estou falido, morando de favor, comendo graças a doações de familiares que já ha algum tempo perderam a paciência comigo. Meus "amigos" ha muito que já desistiram de mim. Não tenho nenhum. Ninguém com quem contar. Arrumei um emprego que é o oposto do que me seria recomendado, mas foi o único trabalho que encontrei. Estou na segunda semana e tenho crises de ansiedade gigantescas, tamanha é a repulsa que eu tenho por esse trabalho. Perdi o apetite, estou agravando um estado de depressão e controlo o pouco que ainda me resta de alguns antidepressivos que ainda tenho. Quando acabarem, não terei dinheiro para comprar mais. Sinto que cedo, ou tarde, vou jogar a toalha. Penso nisso todo dia, em largar esse novo emprego. Não encontro meu caminho e me sinto encurralado. Se houvesse uma clínica na qual pudesse me internar, eu o faria sem pestanejar. Eu não aguento mais. Não me aguento."
    http://www.tdah-reconstruindoavida.com.br/2013/07/o-tdah-desempregado.html?showComment=1375372676892#c5964721621910558701

    ResponderExcluir
  12. https://www.youtube.com/watch?v=uVzHEZIdC5A

    visão espirita do assunto!

    ResponderExcluir
  13. Por que ao invés de ficarem lamentando que tem a tal ''doença'', vocês não se dedicam à literatura** Tenho dado umas passadas em alguns blogues cujo tema principal é a tdah. Escrevem muito bem, tem boas metáforas para explicar suas condições ou ao menos para enfatizá-las. O copo pode estar meio cheio ou meio vazio e me perdoem mas se dedicar aos próprios defeitos que todo mundo tem, não irá melhorar a vida, é pra isso que duas palavrinhas foram criadas, criatividade e adaptação. Ambas para lhes mostrar o que se deve fazer quando a vida não vem fácil, especialmente por razões pra lá de idiotas, o nosso sistema meritocrático inútil, em uma boa parcela do mesmo.
    Tdah é parte de vocês e não a totalidade, dar enorme ênfase à condição, lamentar e não propor soluções para si mesmos mas também para os outros, definitivamente não irá melhorar muito as suas vidas.

    Até

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget